Gustavo A Vilela
O puro e ingênuo amor, pela doce arte das palavras...
CapaCapa
TextosTextos
PerfilPerfil
ContatoContato
Textos


Amo você com toda pureza e essência da minha alma, digo que te amo e você ri dizendo que também me ama más sinto que não e tão verdadeiro como meu amor. Chamo-te de amor você me chama de amigo, olho suas fotos ao meu lado sinto uma alegria junto com uma tristeza em saber que para você somos apenas amigos. Antes eu olhava as fotos reparava em seu sorriso e como eu o amava e achava lindo, hoje em dia já não olho mais as fotos, você está me perdendo cada vez mais e nem nota e quer saber isso me magoa. Já faz algum tempo que nós afastamos e talvez assim seja o melhor a fazer essa e uma batalha que eu não posso ganhar o melhor a se fazer e abandonar o campo com o pouco da decência que ainda me resta. Conheço-te há tanto tempo sei tudo sobre você, eu fiquei a o seu lado durante tanto tempo te apoiando em tudo, más me mantive no meu lado respeitando, más agora não da mais tenho que me afastar e buscar a felicidade em meio a outras pessoas.
Gustavo Vilela
Enviado por Gustavo Vilela em 20/07/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras