Gustavo A Vilela
O puro e ingênuo amor, pela doce arte das palavras...
CapaCapa
TextosTextos
PerfilPerfil
ContatoContato
Textos


Realidade, nua e verdadeira.

Acorde, levante abra seus olhos.
Já são cinco da manha, molhe seu rosto.
Guarde seus sonhos de volta na caixa.
Acode para a realidade, esqueça as ilusões.
Esqueça as desigualdades.
Abra sua gaveta, aquela onde esconde.
Seu sorriso, falso, mas necessário.
Pegue um pouco do seu ódio.
Seus sonhos, os motivos que fazem você acordar de manha.
 
Já são cinco da manha, molhe seu rosto.
Levante-se, para a luta do dia-a-dia.
Mas molhe bem seu rosto, para limpar as ilusões.
E te fazer enxergar, a vida em sua realidade.
Acorde, pois são cinco da manha.
E você tem que se arrumar.
 
Já são cinco da manha, molhe seu rosto.
Limpe suas lagrimas, o mundo não se importa.
O mundo não se preocupa, portanto esqueça.
Mas não, não fique triste esse e o mundo.
Verdadeiro, injusto e para poucos.
Acostume-se, levante-se e lute.
 
 
 
Gustavo Vilela
Enviado por Gustavo Vilela em 20/05/2015
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras