Gustavo A Vilela
O puro e ingênuo amor, pela doce arte das palavras...
CapaCapa
TextosTextos
PerfilPerfil
ContatoContato
Textos

Lembranças do nosso amor ( versão resumida)
Lindas as belas flores de primavera, sempre me lembro das belas e longas caminhadas que vaziamos em nosso lindo jardim. Talvez não consiga se lembra, mas eu me lembro com toda e emoção e os sorrisos que compartilhamos juntos em momentos curtos às vezes, porém com todo seu esplendor e romance.
Nunca me esqueci de como nós conhecemos o quanto fora maravilhoso e especial aquele momento divino mais divino ainda foram os momentos que tivemos em seguidas, em cada ocasião que passamos juntos nessa longa estrada. Você se lembra? Lembra-se de como foi? Ora foi lindo, embora para algumas pessoas engraçado de alguma forma. Estávamos em uma reunião de amigos não conhecia muito a maioria das pessoas ali presentes, admito que eu estava meio tímido, más como sempre você veio ate mim com aquele lindo sorriso, perguntando sobre mim me puxando para o meio das pessoas eu quase morrendo de vergonha.
Sei naquela primeira vez tanto você quanto eu não imaginei que teríamos uma linda historia de amos. Éramos totalmente opostos, vidas super. Diferentes más talvez seja como dizem: ‘’Os opostos se atraem’’. Eu era um tanto quanto calado, não me misturava facilmente, vivia em meio aos meus livros e estudo raramente saia em grupo, ou melhor, raramente saia ia a lugares isolados bares algumas vezes sempre sozinhos. Já você se divertia a bastante com seus amigos me lembro de que vivia em festas com seu inseparável violão fazendo as pessoas se divertirem, pois você sempre viveu para isso fazer as pessoas felizes.
Claro também tivemos momentos difíceis fases de nossa vida, morria de ciúmes às vezes sabia que era seu trabalho, más com o passar do tempo você foi adquirindo um pouco da minha personalidade perdeu grandes oportunidades para o sucesso não digo, ou não saberia dizer qual era seu sonho, as noites de shows foram diminuindo e eu sempre recebia uma ligação perguntando como estava o que estava fazendo sempre dizia que estava bem.
Os anos foram se passando até que criamos nossa pequena família, já estávamos bastante acostumados um ao outro. Logo depois de três anos vivendo já como marido e mulher, vivendo como qualquer novo casal entre viagens pelo os mundos restaurantes caros, hotéis de luxo. Surgiu nossa terceira companhia a nossa linda filha, me lembra de quando ela nasceu eu não sabia ao certo se estava preparado apenas sabia que seria ser pai e me sentia um homem completo por isso, nas primeiras vezes que a peguei parece engraçado, más tive medo de pega-la ela me parecia uma florzinha toda delicada e linda, eu pensava que uma pessoa tão fria desastrado as vezes poderia machuca-la.
Ela não esta aqui comigo, más esta bem seguindo seus sonhos, me liga as vezes pergunta como eu e você estamos, sempre diz que vira más nunca vem, talvez seja por falta de tempo eu entendo. Sei que ela tem magoas por mim por não ser capas de apoiar seu estilo de vida, más no fundo em meio a situação devo admitir que ainda não vejo com bons olhos, parte meu coração, más acho que isso pouco importa, tenho orgulho dela e isso me consola.
Já não consigo seguraras lagrimas eu sei as coisas que já fiz você sempre diz que me perdoou, más eu mesmo não consigo viver com isso. Acredito que você preferiu a família a o orgulho, não quero perdão e entendo as coisas terem mudado entre a gente, sinto apenas pelo o fato que com o passar dos anos aquela mulher extrovertida animada foi perdendo o brilho no olhar se transformando em uma pessoa totalmente os opostos. Eu acredito que isso deva ser chamado de maturidade as pessoas mudam o que me faz refletir em que tipo de pessoa eu esteja me transformado.
Bem nossa filha se mudou voltamos a viver apenas com a companhia um do outro, más não foi mais como era antes. Nossas rotinas mudaram bastante, e depois daquele acidente que a deixou assim eu passo os dias preocupados sempre a visito me sento do seu lado trago flores do nosso jardim, e fico esperando que abra os olhos e me de aquele lindo sorriso mesmo que por uma ultima vez... Bem preciso ir ate mais tarde ou amanha tenho uma importante reunião para tratar, adeus espero que goste das flores.
Gustavo Vilela
Enviado por Gustavo Vilela em 10/09/2016
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras