Gustavo A Vilela
O puro e ingênuo amor, pela doce arte das palavras...
CapaCapa
TextosTextos
PerfilPerfil
ContatoContato
Textos


    O amor e algo estranho quando se para e o observa, andamos por toda a vida procurando aquela pessoa que talvez possa se tornar uma das mais importantes na nossa vida formando uma família, quase como um acorde, porém de uma musica que retrata a nossa própria vida.
    Lembro-me de quando a conheci seu olhar seu lindo rosto seu sorriso maravilhoso que jamais esquecerei, seu sorriso encantador despertava em mim a sensação de estar em um jardim de rosas, seu perfume despejando o odor como um de uma linda flor de jasmim.
    Tudo parecia perfeito naquele momento, estávamos em um bar, você com um vestido vermelho, seu cabelo loiro brilhava como uma luz divina. Tudo em você era perfeito ao meu olhar.
    Á musica que tocava, até parecia uma melodia feita apenas para nós, fui ate você seu jeito provocante, lhe chamei para dançar e você aceitou. Todos ali ficaram parados apenas olhando para a gente.
    Depois fomos novamente ao balcão de bebidas e tomamos uns drinks e outros, a cada dose mais sorrisos a cada sorriso uma nova maneira de se apaixonar trazendo todos os mais puros desejos.
    Queria que aquele momento durasse para sempre, não pelo fato e sim pela razão de estarmos ali, com tamanha ligação entre mim e você. Partimos para um lugar onde poderíamos ver o anoitecer e conversar sobre desejos e sonhos.
    O romance tomou conta do mundo a nossa volta estava perfeito, até o destino estava a nosso favor, e foi assim que ficamos unidos por toda a vida, fazendo assim o nosso acorde de uma canção maravilhosa.
    
Gustavo Vilela
Enviado por Gustavo Vilela em 21/08/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras